A história de um projeto inovador na Região do Caparaó Capixaba

Rota de Empreendedores

O projeto Rota do Café e Negócios foi uma iniciativa que atuou na Região do Caparaó Capixaba, localizada no entorno do Parque Nacional do Caparaó, entre os meses de Maio de 2019 e Maio de 2020.

Atuando principalmente através das redes sociais para o fomento de negócios, oportunidades e o debate sadio de ideias, e também com encontros periódicos ocorridos ao longo do ano de 2019 (leia sobre os encontros mais abaixo).

Apesar das dificuldades daquele ano, entramos o ano novo com o desafio de continuar a empreender em 2020 e levar adiante o projeto que deu origem ao 1º Festival de Cafeterias da história da cidade de Iúna/ES.

Neste projeto da “Rota”, nossa voz não apenas ultrapassou os limites da Região do Caparaó, como alcançou empreendedores nos municípios Capixabas de Venda Nova do Imigrante, Anchieta, Vila Velha e à capital Vitória com participantes ativos vindos dessas cidades.

Desde o início, o projeto foi um bom exemplo de como empreender na crise.

Quem eram os Empreendedores?

Em princípio, tivemos a participação de empreendedores das seguintes áreas:

  • Cafeicultura
  • Doceria
  • Artesanato em Madeira
  • Cafeterias
  • Confeitarias
  • Fotografia Digital
  • Estética
  • Hospedagens Rurais e Urbanas
  • Desenvolvimentos de Sites e Softwares
  • Restaurantes
  • Sanitização
  • Fábricas de Cervejas Artesanais
  • Psicólogos
  • Fábricas de Embutidos
  • Assessoria e Organização de Eventos
  • Floriculturas

Porém, não só empreendedores participaram dos debates, como também tivemos a participação de funcionários de algumas destas empresas que vieram a convite de seus empregadores.

Nesse sentido, tivemos a participação de pessoas vindo de oito municípios Capixabas. Todos em busca de algo que não se encontra em livros e filmes sobre empreendedorismo: Vivência!

Leia mais sobre os encontros nos tópicos abaixo!

O inesquecível amanhecer no Pico Colossus em IÚNA/ES (1.650m)

A Linda Região do Caparaó Capixaba

A Região do entorno do Parque Nacional do Caparaó, na divisa dos estados do ES e MG, bate recordes de visitação todo ano, sobretudo graças ao destaque dado por grandes veículos de comunicação e á propagação das redes sociais.

Antes de mais nada, este público cada dia mais exigente, hoje busca ir além do inesquecível amanhecer no Pico Colossus (foto acima). Como, por exemplo, a busca pelos produtos da agroindústria e o aconchego das hospedagens a baixo custo, que tem tido dificuldade em suprir a demanda.

Além, é claro, dos cafés especiais e das belas cachoeiras de águas claras, marcas registradas da Região do Caparaó.

Portanto, percebendo a necessidade de atender essa demanda crescente, e ainda, entendendo que alguns destes lugares não tem a devida estrutura pra receber tanta gente, é que nasceu a Rota do Café e Negócios pensando na qualificação da oferta.

Iniciativa Privada

O projeto teve na iniciativa privada sua única via, sendo traduzida através da reunião de empreendedores espalhados pelo entorno do Caparaó e demais municípios abrangidos, conforme vimos nos tópicos acima.

O movimento iniciado em Maio de 2019, com encontros para debates de ideias e fomento de negócios, enxergava no turismo a alternativa para diversificação da já enraizada, com perdão do trocadilho, monocultura do café.

Nos encontros recebemos empreendedores dos mais variados ramos de produtos e serviços, e também produtores de café que, por exemplo, já entendem a necessidade de uma opção àquela que é o seu único sustento.

Contudo, por vezes a safra não é o suficiente pra sustentar a família e com isso vemos novas cafeterias sendo abertas por produtores e suas famílias. Além de pousadas, campings e, há ainda, uma gama enorme de opções na agroindústria sendo explorada.

Turismo e Qualificação da Oferta

É verdade que os acessos à área do Parque Nacional foram estruturados, mas é também verdade que a demanda crescente jogou uma luz sobre os pequenos empreendedores que não tem acesso às mesmas verbas de financiamento (seja por falta de conhecimento), sinalização de estradas, marketing, etc.

Portanto, somando a alta demanda e uma oferta pulverizada, entendemos que era necessário reunir, catalogar e qualificar aquela oferta.

Os empreendedores da Região do Caparaó Capixaba aguardavam há mais de 30 anos por este momento de ascensão da demanda, desse modo, entendemos que era a hora de agir no sentido de dar ao seu povo uma opção ao café e ao clientelismo político.

Propósito Maior

Este foi um movimento em favor do turismo, mas também do fortalecimento dos pequenos empreendedores que, através de conexões reais entre pessoas, podem mudar o mundo ao seu redor criando um ambiente de desenvolvimento em benefício das próximas gerações.

Há disposição nas pessoas pela mudança e o primeiro passo foi dado.

Como Foram os Encontros

Rota do Café e Negócios iniciou suas atividades em 2019 com três encontros:

Projeto Rota do Café e negócios - paiol da Bel
1º Encontro
  • O 1º encontro aconteceu em 25 de Maio de 2019 no Café Colonial Paiol da Bel, município de Irupí/ES. O debate girou em torno do fortalecimento da identidade do empreendedor e de seu papel no Caparaó. Nossa parceira-líder nesta edição foi a Psicóloga Ana Paula Cunha, de Vitória/ES.
Rota do Café e negócios - café Serra Valentin
2º Encontro
  • O 2º encontro aconteceu em 03 de Agosto de 2019 na cafeteria rural Café Serra Valentim, município de Iúna/ES. Nosso tema nesta edição foi o planejamento e execução de projetos e metas. Como organizar sua empresa para otimizar recursos. O debate ficou por conta da parceira-líder Verusa Domethildes, Empreendedora e Mentora de Projetos de Inovação em Vila Velha/ES. Verusa também é barista, e criadora da VerusCoffe, um clube de consumidores de cafés especiais que abriu sua primeira cafeteria em 2019 na prainha em Vila Velha/ES.
Rota do Café e negócios - fazenda amarela
3º Encontro
  • O 3º encontro aconteceu em 21 de Setembro de 2019 na Fazenda Amarela “Café com Flores”, fazenda produtora de café arábica com opção de hospedagem rural no município de Iúna/ES. O tema desta edição foi a Economia Criativa, e suas ações positivas no âmbito dos pequenos empreendimentos. Nesta edição tivemos duas parceiras-líderes, primeiramente a Verusa Domethildes mais uma vez conosco reforçando os conceitos desde a sua participação anterior. Em um segundo momento a Karlili Trindade, criadora da Cicloescola de Economia Criativa nos apresentou os conceitos e formas de atuação dentro desse ramo dos negócios baseados no capital intelectual e cultural e na criatividade para geração de valor econômico.

Vídeo de encerramento do Projeto:

Realização

Ulisses Mochileiro, Criador da Casa do Mochileiro

Leia também:

1ª Caminhada da Família

Não fique de fora da nossa próxima aventura! Uma caminhada inédita até as torres de TV da cidade de IÚNA. Um visual incrível aguarda você e sua família.

Leia mais

Deixe o seu comentário

Mochileiro com tatuagem no braço

Ulisses

Fundador da Casa do Mochileiro

Mochileiro com tatuagem no braço

Ulisses

Fundador da Casa do Mochileiro

CNPJ: 37.227.239/0001-09
A Casa do mochileiro 2020 © Todos os direitos reservados.