A ONG que deu início ao movimento turístico de Iúna/ES

como começou o turismo de iúna

Conheça agora a história de uma organização não-governamental (ONG) que foi uma das grandes responsáveis por iniciar o movimento turístico da cidade de Iúna/ES e da famosa rota das cachoeiras (Hidrolândia, Poço do Egito, Rio Claro, etc) no município capixaba.

O GIAAN (Grupo Iunense de Amigos do Ambiente Natural) deu início ao trabalho de valorização cultural, fortalecimento da rede de pessoas e coletividade, que hoje é motivo de orgulho para os empreendedores do município (que talvez nem saibam desta história), e que dá aos turistas do mundo todo um bom motivo pra retornar a nossas terras, seja em busca das águas cristalinas que rolam das montanhas, ou da nossa essência enquanto povo hospitaleiro.

A cidade de Iúna/ES tem vocação natural para o EcoTurismo e para o turismo de base comunitária, e foi com essa consciência que nasceu o GIAAN.

O que você vai ler neste post

  • A História da ONG
  • O Site PortaldoCaparaó.com
  • Esportes de Aventura

A História da ONG

sao-joao-do-principe
Pedras Macho e Fêmea no distrito de Pequiá (Município de Iúna/ES). Foto de Roner Braga Padilha

Fundada no dia 05 de junho de 1990 (dia mundial do meio ambiente), a ONG GIAAN (Grupo Iunense de Amigos do Ambiente Natural) é uma entidade civil de direito privado, sem fins lucrativos e teve o resumo de seus estatutos publicado no Diário Oficial do Espírito Santo em 05 de outubro de 1990, página 28.

Seus principais objetivos são a defesa do meio ambiente, lutando pela melhoria da qualidade de vida através do uso autossustentável dos recursos naturais, de modo a obter o máximo de benefício para as atuais e futuras gerações bem como o intercâmbio entre entidades ambientalistas.

Seu principal projeto foi a inclusão da comunidade de São João do Príncipe em Iúna/ES, nas ações governamentais, usando a inserção daquele povoado no século XXI.

Suas ações em São João do Príncipe estão descritas na monografia apresentada pelo diretor da ONG, Sr Roner Braga Padilha (in memoriam) com o tema: Porquê no município de Iúna-ES, o Turismo, nas suas vertentes do Agroturismo e Ecoturismo, ainda não se tornaram uma opção válida para a diversificação, face à monocultura do café (2003).

caldeiroes-pedregulho-iuna
Foto de Roner Braga Padilha

O GIAAN também representou o município de Iúna na 1ª reunião ocorrida no final da década de 90, no Centro Agropecuário da Universidade Federal do Espírito Santo – CAUFES, no município de Alegre/ES, com as propostas de Iúna para a Bacia do Rio Itapemirim.

Além de contribuir com inúmeras campanhas sobre a necessidade da população iunense se conscientizar acerca da disposição do lixo urbano, procurou sempre divulgar a necessidade de preservação das nascentes e matas regionais e da importância que representava as belezas naturais do Caparaó para a atividade do ecoturismo.

Aí incluídas as Serras do Caparaó (divisa de Minas Gerais e Espírito Santo), Seio de Abraão (divisa entre os municípios de Iúna, Ibatiba e Muniz Freire), Fama (divisa entre Iúna e Lajinha-MG), e Beraba (divisa entre Iúna e Muniz Freire).

O grupo que durante todos estes anos militou pelo GIAAN, sempre pautou sua atuação pelo amor à causa ambiental, pelo voluntariado e aplicação de recursos próprios em suas campanhas e atuações de campo.

Foi responsável pelo primeiro encontro de polícias ambientais dos Estados de Minas Gerais e Espírito Santo (foto abaixo), ocorrido na localidade de São João do Príncipe, em benefício e defesa da Serra do Caparaó.

encontro-policial-iuna-ong-caparao
O Diretor Roner Braga Padilha com a camisa do GIAAN, primeiro encontro de polícias ambientais dos Estados de Minas Gerais e Espírito Santo. Foto de Roner Braga Padilha

Esteve presente com trabalhos, propostas e idéias em todos os eventos ocorridos na região do Caparaó na década de 90, mantendo um acervo histórico de fotografias e fitas de vídeo sobre o Fórum Itinerante do Caparaó e eventos regionais.

Sua última iniciativa, datada do início dos anos 2000, é tão virtual quanto a atuação de seus integrantes que sempre preferiram o anonimato. Trata-se do web site PortaldoCaparaó.com (desativado em 2012), onde, mais uma vez, seus integrantes enfocavam a Serra do Caparaó.

“Acho importante o sol nascer e depois se despedir. Acho importante a lua brilhar, a chuva cair, as águas brotarem no alto da Montanha e alimentar a vida. A sombra e o silêncio das matas, a majestosa imponência das Pedras, o canto dos pássaros e seu vôo livre e, às vezes errante. A carícia do vento em tudo que há na terra…”

Roner Braga Padilha (in memoriam), Diretor Executivo do GIAAN

O Site PortaldoCaparaó.com

ong-giaan-portal-caparao
O Portal do Caparaó ficou no ar de 2002 até 2012.

O pioneirismo do GIAAN rompeu as barreiras de Iúna e do Caparaó quando o grupo lançou, de forma inédita, um site na internet no ano de 2002 chamado Portal do Caparaó. A ideia era simples e nada modesta: ser o maior portal de informações turísticas da Região do Caparaó (ES/MG).

O reconhecimento da importância do portal veio com as parcerias com outros grandes portais e sites, como o site oficial do Parque Nacional do Caparaó e o site oficial da Prefeitura de Vitória, por exemplo, que divulgaram em suas páginas de “links parceiros” o link do Portal criado pelo GIAAN.

CAVERNA-DAS-ORQUIDEAS
Iúna, a Terra das Cachoeiras. Foto de Roner Braga Padilha

O Portal do Caparaó agregou, enquanto esteve online (o site saiu do ar em 2012), informações turísticas de todos os municípios da região, totalizando à época 14 municípios. Além de agenda de eventos, mapas, fotos de pontos turísticos, leis municipais, onde ficar, roteiros, e muito mais.

Todo o trabalho de levantamento das informações era feito de forma voluntária pelos integrantes do GIAAN, que entendiam a importância de se catalogar informações para facilitar o acesso do turista á região do Caparaó, que deve ser vista como um todo, sem a famigerada divisão e concorrência geradas entre os Estados vizinhos.

Esportes de Aventura

Fazenda Antiga
A Fazenda São João em Ibitirama (ES), a caminho da Cachoeira da Fumaça.

Clique aqui e conheça A Casa do Mochileiro, comprovadamente uma boa opção de hospedagem no Caparaó.

A capacidade de inovação do GIAAN não parou nas ações institucionais, e um hobby deste que vos escreve (sim, eu estava lá!) levou a criação de um passeio ciclístico com um acampamento no Parque Estadual da Cachoeira da Fumaça, em Alegre/ES.

O passeio ciclístico chamado “Fumaças do Asfalto” foi uma iniciativa minha dentro do GIAAN. Saindo de Iúna/ES ainda de madrugada, seguíamos de bike pela ES-185, uma rodovia estadual asfaltada até a entrada do Parque Estadual da Cachoeira da Fumaça.

Ulisses Mochileiro
O Mochileiro em 2001, acampado na Cachoeira da Fumaça (Alegre/ES).

Durante o percurso eram feitas várias paradas para descanso e muitas fotos, tendo como moldura a Serra do Caparaó – A Montanha Sagrada do Brasil, entre outros pontos turísticos encontrados no trajeto, como a centenária Fazenda São João em Ibitirama (ES), foto abaixo.

Vale registrar que na época em que o passeio ocorreu (início dos anos 2000), o Parque Estadual ainda permitia o camping na área interna, o que já não acontece em dias atuais, infelizmente.

Cachoeira da Fumaça em Alegre (ES)
A chegada na Cachoeira da Fumaça.

Leia também:

A origem do nome “Caparaó”

Terra de cachoeiras e poços de águas cristalinas. Você sabe o que significa “Caparaó”? Qual sua origem? Já se pegou pensando no significado da palavra que dá nome a este lugar incrível?

Leia mais

Deixe o seu comentário

Mochileiro com tatuagem no braço

Ulisses

Fundador da Casa do Mochileiro

Mochileiro com tatuagem no braço

Ulisses

Fundador da Casa do Mochileiro

CNPJ: 37.227.239/0001-09
A Casa do mochileiro 2020 © Todos os direitos reservados.